|

Condições climáticas influenciam no mercado de frutas e hortaliças Destaque

By Março 18, 2022 213 0
Condições climáticas influenciam no mercado de frutas e hortaliças foto Keli Camiloti

Os efeitos climáticos nas regiões produtoras brasileiras têm provocado movimentos de alta nos preços de frutas e hortaliças no país. Uma das mais atingidas foi a cenoura, que registrou os maiores patamares dos últimos anos. Os dados são do 3º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira (17), que traz a cotação dos produtos nas Centrais de Abastecimento (Ceasas).

 

A cebola e a batata também não ficaram muito atrás. Com origem concentrada na Região Sul, principalmente em Santa Catarina, a cebola segue com cotações elevadas. Além disso, a oferta em fevereiro foi menor em comparação com o mês de janeiro. Para compensar, já se observa um aumento nas importações. A batata, que ficou mais cara em todas as Ceasas analisadas, mostrou percentuais significativos especialmente em Recife/PE (76,98%) e Curitiba/PR (40,93%). A menor disponibilidade do produto de Minas Gerais e Paraná tem exercido pressão sobre os preços, embora haja indícios de certo arrefecimento em março.

 

FRUTAS

Maçã, mamão e melancia, que se encontram em um momento de baixa oferta nacional, também ficaram mais onerosos para compra nos mercados atacadistas em fevereiro. Para a maçã foi registrada pequenas elevações na maior parte das Ceasas, especialmente as variedades fuji e gala, com leve aquecimento da demanda. O mamão foi menos comercializado, mas ainda com preços altos na maioria das Ceasas. “A demanda esteve estagnada e os custos dos produtores foram elevados. Além disso, as exportações caíram”, explica o gerente substituto de Estudos do Mercado Hortigranjeiro da Conab, Arthur Vasconcelos.

“Já a melancia, as regiões baianas e paulistas começaram a elevar levemente a oferta da fruta, mas ocorreu diminuição da produção gaúcha e a demanda interna ainda está restrita. As exportações permaneceram em bons patamares”.

Outras frutas analisadas, como banana e laranja, não tiveram um comportamento uniforme nas cotações. No caso da banana, a variedade nanica esteve mais em conta e funcionou como freio aos aumentos da variedade prata, em período de entressafra. “A laranja teve redução da oferta no atacado, mas ainda sem repasse aos consumidores, em grande parte por causa da demanda no varejo se comportar de forma restrita”, afirma o superintendente de Estudos Agroalimentares e da Sociobiodiversidade da Conab, Marisson Marinho.

As análises podem ser acessadas no 3º Boletim Hortigranjeiro Março 2022, com detalhes sobre a comercialização dos hortifrutis no mês de fevereiro e as exportações de frutas.

Informações Conab 

Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

© 2020 Rádio Clube São Domingos-SC. Todos os Direitos Reservados.